Rincon Sapiência propõe uma metáfora sobre a violência em “Crime Bárbaro”

Como marco dos 130 anos da abolição da escravatura, o rapper decidiu contar uma “nova versão da história”. Desde que mostrou ao mundo o álbum “Galanga Livre” no ano passado, Rincon Sapiência tem explorado a dura realidade das minorias e da população pobre no Brasil por meio de seus videoclipes. E claro que a temática de “Crime Bárbaro” não poderia ser outra. A data de lançamento também não foi escolhida à toa. Com estreia no dia 13 de maio, o vídeo é uma crítica ao racismo e à violência policial sofrida pelos negros no Brasil, mostrando que, apesar de muitos anos terem passado desde a escravidão, o que vemos hoje em dia é só mais uma versão de uma história que continua se repetindo.

O videoclipe traz cenas de uma perseguição, onde o policial encarna a figura do capitão-do-mato, encarregado da captura de escravos fugitivos. Entre tiros e bombas, Rincon assume a figura de Galanga (personagem fictício criado por ele) correndo para longe de seu destino.

A produção foi toda gravada em estúdio com fundo infinito, conseguindo exprimir um ótimo dinamismo, que garante que os elementos em cena sejam aproveitados ao máximo.  A estética e a temática também tem ares do filme “Corra”, além de diversas semelhanças com “This Is America”, de Childish Gambino.

O resultado caprichado leva a assinatura de Nixon Freire.

Recentemente, Rincon Sapiência lançou a faixa “Na Quebrada” em parceria com o produtor e DJ português Pedro. Vale lembrar que o rapper também fez uma participação especial em “Ginga”, single recém lançado de Iza.

Por Jessica Di Risio
Em 15 de maio de 2018