Precisamos falar de “Dirty Computer” da Janelle Monáe

Um colírio aos olhos! Desde que anunciou seu retorno com o lançamento duplo de “Make Me Feel” e “Django Jane”, Janelle Monáe está imparável. Provando mais uma vez que não foi feita para estes tempos, a moça divulgou juntamente com o álbum “Dirty Computer” um média-metragem homônimo a obra que simplesmente conecta não uma, ou duas, mas todas as canções do trabalho.

Com mais de 45 minutos, o longa é estrelado pela própria artista, que interpreta a personagem Jane 57821 em uma sociedade totalitária e autoritária. Tessa Thompson e Jayson Aaron também aparecem como personagens dentro da narrativa. Em constante flerte com o universo da ficção científica e concepções afrofuturistas, Monáe escancara questões ligadas ao feminismo e sexualidade. O filme é visualmente impressionante e brinca com as convenções da ficção distópica para falar sua verdade e promover uma mudança cultural em direção a uma sociedade mais inclusiva e amorosa.

Andrew Donoho e Chuck Lightning assinam a direção.

A obra contém 14 faixas, sendo quatro delas com colaborações: “Dirty Computer”, com Brian Wilson, “Screwed”, com Zoe Kravitz, “Pynk”, com Grimes, e “I Got The Juice”, com Pharell Williams. Uma verdadeira obra-prima que os amantes da arte do videoclipe com certeza estão aplaudindo de pé.

Por Jessica Di Risio
Em 01 de maio de 2018